Quantidade de Páginas visitadas

Vírus da gripe suína

Os pesquisadores catalogaram o vírus da gripe suína, de A/H1N1. O H1N1 é o vírus comum da gripe humana. Vários subtipos de vírus já foram encontrados nos porcos, como o H1N2, H3N1 e até o H3N2, que passou dos humanos para os porcos.

O que significa A/H1N1?

A letra A indica o tipo mais variável de vírus, com potencial de fazer adoecer o maior número de pessoas. Os vírus da gripe humana são classificados em A, B ou C, de acordo com esse critério.

A letra H, de H1N1, é a inicial de hemoglutinina, uma proteína localizada na superfície externa do vírus e que ele utiliza para se fixar nas células humanas. O nome vem da aglutinação das células do sangue.

A letra N, de H1N1, é a inicial de neuraminidase, uma proteína que quebra os açúcares da célula sob ataque para liberar novos vírus.

Como as duas proteínas localizam-se no lado externo do vírus, são elas que o sistema imunológico detecta e que os cientistas procuram alvejar na busca por formas de matar o vírus.

Existem 16 tipos de hemoglutinina e 9 tipos de neuraminidase. Apenas as hemoglutininas 1, 2 e 3 ocorrem nos seres humanos (daí os H1, H2 e H3 nas denominações dos vírus). Da mesma forma, apenas as neuraminidases N1 e N2 são frequentes no ser humano.

Os outros tipos são encontrados em aves. Como não ficam gripadas - os vírus atacam seu sistema digestivo e não o sistema respiratório - as aves migratórias misturam os vírus em escala mundial.


Forma de Contágio da Influenza A H1N1
A contaminação se dá da mesma forma que a gripe comum, por via aérea, contato direto com o infectado, ou indireto (através das mãos) com objetos contaminados.
Não há contaminação pelo consumo de carne ou produtos suínos. Cozinhar a carne de porco a 70 graus Celsius destrói o vírus da gripe suína.
Não foram identificados animais (porcos) doentes no local da epidemia (México ).
Trata-se, possivelmente, de um vírus mutante, com material genético das gripes humana, aviária e suína.

Sintomas
febre alta (acima de 38oC);
Cansaço, fadiga;
Dores pelo corpo, dores nas articulacoes;
Tosse, coriza;
Diarréia ou Vómitos.
Além disso podem ocorrer pressão baixa.
Sinais e sintomas que devem ser observados
•Aumento da freqüência respiratória (>25mpm)
•Hipotensão em relação a pressão arterial habitual do paciente
Crianças
–batimento de asa de nariz
–Cianose
–Tiragem intercostal
–Desidratação
–inapetência

Grupo de Risco:
Gestantes;
Pessoas com problemas respiratórios pré-exixtentes;
Problemas cardiacos pré-exixtentes;
Pessoas portadoras de AIDS;
Crianças menores de 2 anos.
Além disso, todas as pessoas que trabalham em portos, aeroportos, fronteiras, laboraórios, hospitais também fazem parte do grupo de risco, mas essas pessoas estão sendo orientadas pelo MS a tomar as devidas precauções como, uso de máscaras, luvas e outras medidas se necessário.

Prevenção
- Lavar as maos regularmente com agua e sabao durante 3-4 minutos, principalmente apos espirrar ou tossir;
- Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar;
- Se visitar lugares com riscos de contagio, usar luva e mascara cirurgica descartavel (trocar com frequencia).
- Na fase pandemica, é melhor evitar lugares muito fechados, onde há aglomerações de pessoas. Se você não puder evitar, use máscara cirurgica e não se esqueça de lavar bem as mãos!

Tratamento
De acordo com a OMS, o medicamento antiviral
oseltamivir(conhecido como Tamiflu) zanamivir em testes iniciais mostrou-se efetivo contra o vírus H1N1.
De acordo com decisão do Grupo Executivo Interministerial para Pandemia de Influenza (GEI), aprovada em 1º de junho, recomenda-se internação de sete dias para pacientes com sintomas graves e pessoas com risco de óbito por influenza: idade menor que dois ou maior que 60 anos; doença pulmonar ou cardíaca crônicas; insuficiência renal crônica, diabetes; hemoglobinopatias; gravidez e imunossupressão primária ou adquirida. Nesses casos, os pacientes recebem tratamento com antiviral. devem receber medicamento e ficar em isolamento domiciliar por sete dias, recebendo orientação da autoridade municipal e/ou estadual de saúde. É importante ressaltar que o hospital de referência deverá informar a Vigilância Epidemiológica estadual ou municipal quando o paciente for encaminhado para isolamento domiciliar, para que seja providenciado o seu acompanhamento.
O novo protocolo de manejo clínico aprovado pelo GEI também altera a definição de caso suspeito. Agora, os critérios são:

- febre acima de 37,5°C (antes era de 38°C), mesmo que medida pelo paciente;
- tosse ou dor de garganta (o último sintoma não entrava na classificação anterior), acompanhadas ou não de dor de cabeça, nos músculos e articulações e dificuldades respiratórias. Além disso, o paciente deve ter estado, nos últimos dez dias, em países com casos da doença ou tido contato com pessoas consideradas casos suspeitos.

Com o problema atual da gripe suina e Influenza H1N1, esta se falando de pandemia, mas o que significa isso?
Pandemia é uma epidemia de doença infecciosa que se espalha em toda a população localizada em uma grande região geográfica como, por exemplo, um continente, ou mesmo o planeta.
A
Organização Mundial de Saúde(OMS) desenvolveu um plano de preparação de gripe global que define as fases de uma pandemia, esboços no papel da OMS, e faz recomendações para medidas nacionais antes e durante uma pandemia. As fases são:
Fase 1: Nenhum subtipo de vírus de gripe novo foi descoberto em humanos.
Fase 2: Nenhum subtipo de vírus de gripe novo foi descoberto em humanos, mas uma doença, variante animal ameaça os humanos.Períodos de alerta de Pandemia.
Fase 3: Infecções( humana) com um subtipo novo mas nenhuma expansão de humano para humano
Fase 4: Pequeno Cluster(s) com transmissão de humano para humano com localização limitada.
Fase 5: Maior Cluster(s) mas expansão de humano para humano ainda local. A Fase 5 é caracterizada pela propagação do vírus de pessoa a pessoa em, no mínimo, dois países de uma mesma região da OMS
Fase 6: Pandemia: aumenta a transmissão contínua em geral da população a nível global. A Fase 6 é caracterizada quando a propagação do vírus de pessoa a pessoa passa a ocorrer em, no mínimo, um país de outra região.
Para a OMS, isso caracteriza a pandemia, ou seja, que o vírus se alastrou para, pelo menos, duas regiões administrativas distintas designadas pela OMS.

Inicio da Gripe Suina:
a OMS decretou a Gripe Suina (originada no Mexico) Pandemia fase 4,
Inicio da mutacao do virus da gripe suina para Influenza A (H1N1) e Alerta de Pandemia.
29/04/2009 a OMS anunciou que ja' existem 132 casos em 11 Paises e elevou a fase de risco de Pandemia para 5.
29/04/2009 a OMS anunciou que os seguintes paises reportaram casos laboritoriamente com casos do virus confirmados sem mortes Austria (1), Canada (13), Alemanha (3), Israel (2), Nova Zealandia (3), Espanha (4) e Inglaterra (5). No mexico 26 casos confirmados, 7 mortes e mais 138 casos em observacao, nos EUA sao 91 casos confirmados e 1 morte (numeros oficiais.
11/06/09 a OMS anunciou a "Pandemia fase 6 devido ao aumento de casos ao redor do mundo.
Na data de 11/06/09, 74 países registraram casos de Influenza A H1N1, no total de 28.774 casos e 144 mortes.
No dia 28/06/09 o Ministério da Saúde anunciou a primeira morte no país causada pela Influenza A H1N1 uma pessoa adulta do Rio Grande do Sul, que esteve na Argentina por sete dias.
06/07/09 OMS/WHO anunciou que o nome oficial da Influenza A H1N1 é pandemia H1N1/09. "se refere ao fato que isso é uma pandemia do vírus influenza. Se você olhar como um científico subtipo, isso é um H1N1 virus e o 09 refere ao período de tempo corrente (ano). Esperamos que isso ajude a distinguir esse vírus do H1N1 vírus seasonal" (
Dr. Fukuda/WHO).

____________________________________________________________________
Fatos Históricos

No século passado ocorreram três pandemias as chamadas: Gripe Espanhola, Gripe Asiática e Gripe de Hong Kong que repercutiram de forma distinta na morbimortalidade pela doença e suas complicações.
A primeira atingiu cerca de 500 milhões de pessoas em todo o mundo, com pelo menos 40 milhões de óbitos. As duas outras tiveram repercussão maior na morbidade do que na mortalidade, tendo sido registrados em torno de um milhão de óbitos em cada uma delas.

A Pandemia de gripe de 2009, inicialmente designada como gripe Mexicana um surto global de uma variante de gripe suína cujos primeiros casos ocorreram no México em meados do mês de março de 2009, veio a espalhar-se pelo mundo, tendo começado pela América do Norte, atingindo pouco tempo depois a Europa e a Oceania. O vírus foi identificado como Influenza A subtipo H1N1, uma variante nova da gripe suína para a qual não existe uma vacina. Ele contém ADN típico de vírus aviários, suínos e humanos, incluindo elementos dos vírus suínos europeus e asiáticos. Os sintomas da doença são o aparecimento repentino de febre,tosse, dor de cabeça intensa, dores musculares e nas articulações, irritação nos olhos e fluxo nasal.






Validador

CSS válido!

Secretaria de Estado da Educação do Paraná
Av. Água Verde, 2140 - Água Verde - CEP 80240-900 Curitiba-PR - Fone: (41) 3340-1500
Desenvolvido pela Celepar - Acesso Restrito