Quantidade de Páginas visitadas


Segurança no laboratório – Edevalter Bueno

Segurança em Laboratório


Hábitos individuais

A – Faça no laboratório
1. Lave as mãos antes de iniciar seu trabalho
2. Lave as mãos entre dois procedimentos
3. Lave as mãos antes de sair do laboratório
4. Certifique-se da localização do chuveiro de emergência, lava-olhos, e suas operacionalizações
5. Conheça a localização e os tipos de extintores de incêndio no laboratório.
6. Conheça a localização das saídas de emergência

B – NÃO faça no laboratório.
1. Fumar
2. Comer
3. Correr
4. Beber
5. Sentar ou debruçar na bancada
6. Sentar no chão
7. Não use cabelo comprido solto
8. Não (ou evite) trabalhar solitário no laboratório.
9. Não manuseie sólidos e líquidos desconhecidos apenas por curiosidade


USO DO JALECO


Deve proteger contra respingos e ser de fácil remoção em caso de acidente.
Deve-se evitar tecidos que queimem facilmente, que façam um massa quando fundidos e que desenvolvam eletricidade estática
Uma opção adequada é o tecido de algodão puro.

CALÇADO


Utilizar sapatos de couro totalmente fechados. Não se deve usar sapatos de salto, sandálias de dedo e sapatos de tecido

ORGANIZAÇÃO NO LABORATÓRIO


Para organização do trabalho é necessário estabelecer regras de utilização no laboratório necessárias à realização dos experimentos e cumpri-las.
• Em todos os momentos do trabalho no laboratório, a norma principal de segurança a ser observada pe o bom senso. Por exemplo: não colocar recipientes de vidro ou que contenham produto químico em locais inadequados, como na beirada da mesa de trabalho;
• Não se deve fumar no laboratório, pois há risco de incêndio
• Não se deve ingerir qualquer alimento ou bebida nos laboratórios, pois há risco de ingestão de substâncias tóxicas;
• Ler sempre o rótulo do frasco antes de utilizar;
• Evitar o desperdício de materiais e reaproveitar o que for possível;
• É necessário que o laboratório sempre esteja em condições de inspeção. Para tanto, deve-se conservar os frascos e embalagens de reagentes estocados no almoxarifado em perfeitas condições, com a descrição do produto no rótulo, bem acondicionados, fechados e distribuídos adequadamente nos armários;
• Se tiver necessidade de sentir o odor de uma substância ou de uma mistura, trazer um pouco de vapor do sistema para si, utilizando as mãos em forma de concha. Não colocar o nariz ou o rosto diretamente sobre o recipiente.

Cuidados com Aparelhagem, Equipamentos e Vidraria Laboratoriais.

1. Antes de iniciar a montagem, inspecione a aparelhagem, certifique-se de que ela esteja completa, intacta e em condições de uso
2. Não utilize material de vidro trincado, quebrado, com arestas cortantes
3. Não seque equipamentos volumétricos utilizando estufas aquecidas ou ar comprimido
4. Não utilizes tubo de vidro, termômetros em rolha, sem antes lubrificá-los com vaselina e proteger as mãos com luvas apropriadas ou toalha de pano.

 

DERRAMAMENTO ACIDENTAL DE PRODUTOS QUÍMICOS


Em caso de acidentes é recomendado:
• Isolar a área e comunicar a todos os usuários do laboratório;
• Desligar ventilação e/ou exaustão do ambiente
• Providenciar a limpeza do local e deixar ventilar até não ter mais vapores residuais no ar.


Atitudes Individuais com Ácidos


1. Adicione sempre o ácido à água; nunca faça o inverso

PREPARO DAS SOLUÇÕES


Um dos modos mais frequentes de exprimir a composição de soluções para utilizações domésticas, comerciais e industriais é pela concentração em massa. Saber preparar estas soluções é, por isso, uma prática laboratorial importante.
Nunca se deve adicionar água a um ácido concentrado. Poderá ocorrer uma explosão com a conseqüente projeção de ácido concentrado.

Adicionar antes o ácido à água, lentamente e com agitação constante.


A dissolução de ácidos concentrados é um processo bastante exotérmico.

Atitudes Individuais com Bicos de Gás


1. Feche completamente a válvula de regulagem de altura de chama
2. Abra o registro do bloqueador da linha de alimentação
3. Providencie uma chama piloto e aproxime do bico de gás
4. Abra lentamente a válvula de regulagem de altura de chama até que o bico de gás ascenda
5. Regule a chama

Atitudes Individuais com Soluções


Observação: Cerca de 80% das soluções químicas concentradas são nocivas aos organismos vivos, principalmente se misturadas por via oral.
1. Não transporte soluções em recipientes de boca larga (como béquer, por exemplo), se tiver que efetuá-lo por certa distância, triplique sua atenção durante o percurso e solicite um colega que o acompanhe.
2. Não leve a boca a qualquer reagente químico, nem mesmo o mais diluído
3. Certifique-se da concentração e da data da preparação de uma solução antes de usá-la.
4. Não pipete, aspirando com a boca, líquidos cáusticos, venenosos ou corantes, use pêra de sucção para sua segurança.
5. Não use o mesmo equipamento volumétrico para medir simultaneamente soluções diferentes.
6. Volumes de soluções padronizadas, tiradas dos recipientes de origem e não utilizadas, devem ser descartados e não retornados ao recipiente de origem.

Descarte de Sólidos e Líquidos

1. Deverá ser efetuado em recipientes apropriados separando-se o descarte de orgânicos de inorgânicos.

Cuidados com Aquecimento, incluindo: Reação exotérmica, chama direta, resistência elétrica e banho-maria


1. Não aqueça bruscamente qualquer substância
2. Nunca dirija a abertura de tubos de ensaio ou frascos para si ou para outra pessoa durante o aqueciemento
3. Não deixe sem o aviso “cuidado material aquecido”, equipamento ou vidraria que tenha sido removida de sua fonte de aquecimento, ainda quente e deixado repousar em lugar que possa ser tocado inadvertidamente
4. Não utilize “ chama exposta” em locais onde esteja ocorrendo manuseio de solventes voláteis, tais como éteres, acetona, metanol, etanol, etc.
5. Não aqueça fora das capelas, substâncias que gerem vapores ou fumos tóxicos.

Manuseio e Cuidados com Frasco de Reagentes
1. Leia cuidadosamente o rótulo d o frasco antes de utilizá-lo, habitue-se a lê-lo, mais de uma vez, ao pegá-lo, e novamente antes de usá-lo
2. Ao utilizar uma substância sólida ou líquida dos frascos de reagentes, pegue-o de modo que sua mão proteja o rótulo e incline-o de modo que o fluxo escoe do lado oposto ao rótulo
3. Muito cuidado com as tampas dos frascos, não permite que ela seja contaminada ou contamine-se. Se necessário use o auxílio de vidros de relógio, placas de Petri, etc. Para evitar que isso aconteça.
4. Ao acondicionar um reagente, certifique-se antes da compatibilidade com o frasco, por exemplo, substâncias sensíveis à luz, não podem ser acondicionadas em embalagens translúcidas.
5. Não cheire diretamente frascos de nenhum produto químico, aprenda esta técnica e passe a utilizá-la de início, mesmo que o frasco contenha perfume.
6. Os cuidados com o descarte de frascos vazios de reagentes não devem ser menores que os cuidados como descarte de soluções que eles dão origem


Produtos Corrosivos


Ácidos e bases são produtos considerados corrosivos e, portanto devem ficar em armários e prateleiras próximos do chão e, se possível, em local arejado.

Produtos Inflamáveis e Explosivos


Deve, ser guardados em armários e prateleiras próximos ao chão e devem manter grande distância de produtos oxidantes.
Alguns produtos químicos são sensíveis ao choque ou impactos. Essas substâncias tornam-se ainda mais perigosas com o envelhecimento durante o armazenamento.
Os éteres e o potássio metálico podem formar peróxidos explosivos, sob exposição ao ar.
Àcido perclórico deve conter 10-20% de água, pois seco é explosivos
Ácido perclorico deve ser mantido em frascos na proporção 70% de ácido e 30% de água.
Sódio metálico deve ser armazenado imerso em solventes inertes, como o querosene, não colocar água, pois explode.


ARMARIOS E DEPÓSITOS


Estar devidamente identificados e em condições de segurança
Acesso restrito a pessoas autorizadas
Estar devidamente iluminados e ventilados
Não usar aquecedores

PRATELEIRAS


As garrafas e recipientes maiores devem ser armazenadas a menos de 60 cm do chão;
Embalagens de produtos químicos corrosivos devem estar abaixo do nível dos olhos
Não deixar frascos vazios nas prateleiras
As prateleiras devem ser estáveis, resistentes e devidamente presas as paredes;
Prateleiras espaçadas, com trava no limite frontal para evitar a queda dos frascos.

ROTULAGEM DOS RECIPIENTES


Todos os frascos devem estar devidamente rotulados;
Cada rótulo ligado ao frasco deve possuir identificação legível e livre de contaminação ou corrosão;
Os rótulos incluem as precauções necessárias para o composto específico



Não permita que a substância à esquerda entre em contato com aquela(s) à direita!

São incompatíveis


Ácido acético Ácido crômico, etileno glicol, ácido nitrico, compostos hidróxilicos, ácido perclórico, peróxidos, permanganatos
Ácido cianídrico (HCN) Ácido nitrico, álcalis
Ácido crômico e cromo Ácido acético, naftaleno, glicerina, álccols e líquidos inflamáveis em geral, cãnfora, terebintina
Ácido fluorídrico (HF) Amônia )aquiosa ou anidra)
Ácido nítrico (HNO3) concentrado Ácido acético, anilina, ácido crômico, ácido cianídrico, sulfeto de hidrogênio, líquidos e gases inflamáveis, cobre, bronze e metais pesados.
Ácido oxálico Prata, mercúrio
Ácido Perclórico Anidrido acético, bismuto e suas ligas, alccol, papel, madeira, graxas. Óleos
Ácido sulfúrico (H2So4) Clorato de potássio, perclorato de potássio, permanganato de potássio (e compostos similares de metais leves, como sódop e lítio)
Acetona Ácido sulfúrico concentrado e misturas de ácido nítrico
Acetileno Cloreto, brometo, cobre, floreto, prata e mercúrio
Água Cloreto de acetila, metais alcalinos e alcalino terrosos, seus hidritos e éxidos, peróxidos de bário, carbetos, ácido crômico, oxicloreto de fósforo, pentacloreto de fosforo, pentóxido de fosforo, pentóxido de fosforo, acido sulfurico, tróxido de enxofre
Alcalinos e alcalinos e terrosos e metálicos Água, hidrocarbono clorados, dióxido de carono, halogènios, alccois, aldeídos, cetonas, ácidos
Aluminio (pó) Hidrocarbonos clorados, halogenios, dióxido de carbono, ácidos orgânicos
Amônia (anidra) Mercúrio, cloreto, hipoclorito de cálcio, iodeto, brometo e ácido fluorídrico
Anilina Ácido nitrico e peróxido de hidrognio (água oxigenada)

Arsenicais Agentes redutores
Azidas Ácidos
Brometo Amônia, acetileno, butadieno, hidrocarbonos, hidrogenio, sódio, metais finamente divididos, terebintina e outros hidrocarbonetos
Carbonato de cálcio Agua e álcool
Carvão ativado Hipoclorito de calcio e agentes oxidantes
Cianetos Ácidos
Cloratos Sais de amônia, ácidos, materiais combustíveis, metal pó, enxofre, orgânicos finamente divididos ou materiais combustíveis
Clorato de potássio Ácido sulfúrico e outros ácidos
Clorato de Sódio Ácidos, said de amônio, materiais oxidáveis, enxofre
Cloro Amônia, acetileno, butadieno, hidrocarbonos, hidrogênio, sódio, metais finamente divididos, terebintina e outros hidrocarbonetos
Cobre Acetileno, peróxido de hidrogênio (água ocigenada)
Dióxido de Cloro Amônia. Metano, fosfito, sulfito de hidrogenio
Fluor Isole de tudo
Fosforo (branco) ar. oxigenio, alcalis, agentes redutores
Hidrocarbonetos (ex: butano, propano, benzeno) Fluor, cloro, bromo, ácido crômico, peróxido de sódio
Hipocloritos Ácidos, carvão ativado
Inflamáveis (líquidos) Nitrato de amônia, ácido crômico, peróxido de hidrogênio, ácido nítrico, halogênios
Iodo Acetileno, amônia (aquosa ou anidra), hidrognio
Mercúrio Acetileno, ácido fulmínico, amônia
Nitratos Ácido sulfúrico
Nitrato de amônio Ácidos, metais finamente divididos,líquidos inflamáveis, cloratos, nitratos, enxofre, materiais orgânicos ou combustíveis finamente divididos
Nitritos Cianeto de sódio ou de potássio
Nitroparafinas Bases inotgãnicas, aminas
Oxigenio Óleos, graxas, hidrogenio, gases, sólidos ou liquidos inflamaveis
Pentóxido de fosforo Água
Perclorato de potássio Veja ácido sulfúrico e outros ácidos e também cloratos
Permanganato de potássio Glicerol (glicerina), etilenoglicol, benzaldeido, ácido sulfúrico
Peróxido, orgãnicos Ácidos (orgânicos ou inorgânicos) evite atrito, estocar em local fresco
Prata Acetileno, ácido oxálico, ácido tartárico, compostos de amônio, ácido fulmínico
Selenidios Agentes redutores
Sódio Água, tetracloreto de carbono, dióxido de carbono
Sulfetos Ácidos
Telurídios Agentes redutores

Edevalter Inácio Bueno
Téc. Seg. Trabalho
Reg. MTe - 35/01371-5





Validador

CSS válido!

Secretaria de Estado da Educação do Paraná
Av. Água Verde, 2140 - Água Verde - CEP 80240-900 Curitiba-PR - Fone: (41) 3340-1500
Desenvolvido pela Celepar - Acesso Restrito